PALMEIRA LUCUALA OU PALMEIRA LEQUE

Palmeiras

FICHA TÉCNICA

  NOME:  PALMEIRA LUCUALA OU PALMEIRA LEQUE

  Tipo:  Palmeiras

  Luminosidade:  Meia Sombra

  Irrigação:  

  CARACTERÍSTICAS:  Nome Científico: Licuala grandis Sinonímia: Pritchardia grandis Nomes Populares: Palmeira-leque, Licuala, Palmeira-licuala, Palmeira-liquala, Totuma, Licuala-grande, Palmeira-leque-japonês Família: Arecaceae Categoria: Árvores, Palmeiras Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical Origem: Oceania, Vanuatu Altura: 1.8 a 2.4 metros, 2.4 a 3.0 metros, 3.0 a 3.6 metros Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno Ciclo de Vida: Perene A palmeira-leque é uma espécie de pequeno porte, que dificilmente ultrapassa os três metros de altura. Seu estipe (tronco) é único e de pouco diâmetro. Ela chama atenção, no entanto, por suas folhas tão singulares. Elas são grandes, redondas a triangulares, coriáceas, de cor verde-brilhante, plissadas e com margem denteada. Estas folhas são sustentadas por pecíolos fortes, longos e espinhentos. Apenas os indivíduos já com tamanho considerável de tronco florescem e frutificam. As flores são de cor creme, diminutas e surgem em inflorescências ramificadas que despontam em longos cachos. Os frutos são vermelho-alaranjados, esféricos e bastante decorativos. Ocorre ainda uma forma variegada da planta com belas folhas listradas de branco. Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Aprecia o calor e umidade tropicais. Não resiste às geadas, estiagem ou frio intenso. Em locais de clima quente e seco, é primordial conduzi-las sob meia sombra. Resguarde as plantas envasadas de ambientes com ar condicionado. Pode ser cultivada em regiões litorâneas, mas é interessante protegê-la dos ventos fortes, que rasgam suas folhas, estragando seu magnífico aspecto. Multiplica-se por sementes recém colhidas, despolpadas e escarificadas, postas a germinar em substrato arenoso, mantido úmido. Germina em cerca de 120 dias. Como outras espécies de palmeiras, é importante manter os indivíduos jovens protegidos do sol direto por alguns anos após o plantio e posteriormente efetuar uma exposição gradual ao sol, para que a planta possa se adaptar.

  CURIOSIDADES:  

Nome Científico: Licuala grandis Sinonímia: Pritchardia grandis Nomes Populares: Palmeira-leque, Licuala, Palmeira-licuala, Palmeira-liquala, Totuma, Licuala-grande, Palmeira-leque-japonês Família: Arecaceae Categoria: Árvores, Palmeiras Clima: Equatorial, Subtropical, Tropical Origem: Oceania, Vanuatu Altura: 1.8 a 2.4 metros, 2.4 a 3.0 metros, 3.0 a 3.6 metros Luminosidade: Meia Sombra, Sol Pleno Ciclo de Vida: Perene A palmeira-leque é uma espécie de pequeno porte, que dificilmente ultrapassa os três metros de altura. Seu estipe (tronco) é único e de pouco diâmetro. Ela chama atenção, no entanto, por suas folhas tão singulares. Elas são grandes, redondas a triangulares, coriáceas, de cor verde-brilhante, plissadas e com margem denteada. Estas folhas são sustentadas por pecíolos fortes, longos e espinhentos. Apenas os indivíduos já com tamanho considerável de tronco florescem e frutificam. As flores são de cor creme, diminutas e surgem em inflorescências ramificadas que despontam em longos cachos. Os frutos são vermelho-alaranjados, esféricos e bastante decorativos. Ocorre ainda uma forma variegada da planta com belas folhas listradas de branco. Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Aprecia o calor e umidade tropicais. Não resiste às geadas, estiagem ou frio intenso. Em locais de clima quente e seco, é primordial conduzi-las sob meia sombra. Resguarde as plantas envasadas de ambientes com ar condicionado. Pode ser cultivada em regiões litorâneas, mas é interessante protegê-la dos ventos fortes, que rasgam suas folhas, estragando seu magnífico aspecto. Multiplica-se por sementes recém colhidas, despolpadas e escarificadas, postas a germinar em substrato arenoso, mantido úmido. Germina em cerca de 120 dias. Como outras espécies de palmeiras, é importante manter os indivíduos jovens protegidos do sol direto por alguns anos após o plantio e posteriormente efetuar uma exposição gradual ao sol, para que a planta possa se adaptar.